top of page
  • Foto do escritorMaria Paula Coelho

Dicas da nutri para o preparo dos alimentos

Atualizado: 9 de set. de 2021


Como preparar os pratos das crianças?

  • Oferecer porções reduzidas nas refeições, pois a criança tem uma aceitação diferente do que é colocado no prato para um adulto, então iniciar com 2 colheres de sopa de cada item.

  • Espere que a criança sinalize uma necessidade de maior quantidade de comida para adicionar mais colheres ao prato.

  • Sempre oferecer alimentos do grupo das proteínas no almoço e no jantar, como carne, frango ou ovo,.

  • Ao realizar a introdução de novos alimentos à dieta, devemos incorpora-los gradativamente, avaliando a tolerância individual a cada um deles. Recomendamos que seja realizada a introdução de um alimento novo a cada três dias para garantir uma observação adequada.

  • Quando for oferecer alguma leguminosa (feijão, lentilha…), não oferecer na mesma refeição e no mesmo dia uma verdura, pois isso pode desencadear sintomas como distensão abdominal, cólica, aumentos das evacuações ou maior débito pela colostomia / ileostomia..

  • No café da manhã e lanche da tarde, NÃO oferecer somente pão (para aqueles que podem comer pão), sempre oferecer uma fruta, mesmo que a criança aceite apenas um pedaço pequeno, para que possa se adaptar e criar a rotina.

Água


A água oferecida em quantidade, muito próxima às refeições ou à infusão da dieta enteral, pode prejudicar a absorção dos nutrientes ofertados. Portanto, verifique com a equipe qual a quantidade de água é adequada para a criança, e em que momento do dia é melhor fazê-lo.


Sucos


Sabe-se que existem 3 tipos diferentes de processamento dos "sucos" pela indústria, com a utilização de ingredientes diferentes, sendo necessário ficar de olho nos rótulos desses alimentos.

  • Suco: sua composição apresenta ingredientes naturais, não apresentam conservantes, aromatizantes e nem açúcar, somente o da fruta.

  • Néctar: apresentam cerca de 30% de suco de frutas podendo conter aromatizantes, adoçantes, corantes e outros aditivos.

  • Refresco: contém cerca de 10% de suco de frutas, são produtos feitos da diluição em água da polpa de fruta, suco de fruta ou extrato vegetal, além de serem adicionados açúcar e aditivos.

Sabe-se que há uma recomendação de suco a ser oferecida por dia, pela sociedade brasileira de pediatria, porém, para os pacientes em reabilitação intestinal, devemos tomar cuidado com a quantidade e limitar o suco oferecido por dia, pela quantidade de frutose (açúcar da fruta), sendo o ideal sempre diluir esse suco com água, como por exemplo: 50ml de água e 50ml de suco da fruta.

Congelar e descongelar os alimentos

O congelamento é uma das melhores formas de conservação dos alimentos. E não leva química nenhuma.

Uma vez congelado, o alimento se torna rígido e nesse estágio o desenvolvimento de micro-organismos e o consequente processo de deterioração são retardados.

  • Para congelar os alimentos, eles precisam estar frescos e higienizados; podem ser retiradas as partes não comestíveis e a casca caso queira.

  • Corte os vegetais como preferir; em um panela com água fervendo coloque os vegetais por 2 a 3 minutos; retire-os ainda em água quente e coloque em um recipiente com água gelada e cubos de gelo (precisa ter o choque térmico); retire e seque com papel toalha ou pano de prato limpo;

  • Coloque os vegetais em embalagens de congelamento ou recipientes de vidro. Sugerimos congelar os alimentos em porções pequenas. Use etiquetas para identificar as papas ou refeições preparadas.

  • Anote em cada embalagem quais os ingredientes que foram utilizados, data de preparo e validade.

  • Você pode retirar pela manhã os potinhos do freezer e colocar na geladeira – o descongelamento em temperatura ambiente é propício para a proliferação de bactérias. O alimento também pode ser descongelado no micro-ondas, em potência baixa, ou por aquecimento em banho maria.

  • Depois de descongelado o alimento pode ser armazenado por no máximo 24 horas na geladeira.

Qual a melhor forma de preparar os alimentos?

  • Cozinhar no vapor: forma de preparo que mais preserva os nutrientes dos vegetais.

  • Refogar: Preserva grande parte dos nutrientes. Atenção a quantidade de óleo, manteiga, azeite ou banha que utiliza para refogar.

  • Assados: o ideal é que asse os vegetais a 180 C. Nesta temperatura há maior conservação dos nutrientes.

  • Cozinhar na água: várias vitaminas são hidrossolúveis, o que faz com que grande parte dos nutrientes sejam perdidos na água.


Ficou com dúvidas? Fale com a gente :)

contato@patii.com.br


64 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page